A Igreja data do ano de 1370, quando D. Fernando e D. Leonor se refugiam em Abrantes para fugir à peste que estava a devastar a cidade de Lisboa.

Segundo reza a história, a rainha D. Leonor recebeu o convite para vir até Sardoal, devido às várias fontes da Vila e que respondiam a vários tipos de doenças. A monarca gostou de tal maneira da vila que decidiu mandar construir ali uma pequena ermida. Foi criada uma confraria que passou a receber doações de fiéis. As dádivas ultrapassaram as despesas, permitindo ajudar os mais desfavorecidos.

A capela original foi em 1551 substituída pela atual igreja.

A imagem da Virgem da Misericórdia data do século XV, de uma altura em que doenças como a peste fizeram com que os cristãos pedissem proteção superior. É neste contexto que começam a surgir as primeiras imagens de Nossa Senhora.

A nível arquitetónico, destaque para o pórtico renascentista da fachada principal, de pedra de Ançã, atribuído a João de Ruão, um dos escultores mais importantes do Renascimento em Portugal. Carregado de pormenores, que podem passar despercebidos, esta obra meticulosa expressa o cuidado com os mais necessitados.

Acesso condicionado, pertence à Santa Casa da Misericórdia. Acessível na Semana Santa ou com visitas marcadas (contactar Posto de Turismo).

Localização: Rua da Misericórdia - Sardoal

Semana Santa:

Procissão dos Fogaréus, Quinta-feira Santa

 

Fonte: CÂMARA MUNICIPAL DE SARDOAL - Igreja da Misericórdia [Em linha]. Sardoal: Câmara Municipal de Sardoal. [Consult. 20 Jul. 2020]. Disponível em WWW: <http://turismo.cm-sardoal.pt/index.php/pt/patrimonio-religioso/igrejas-todas/113-patrimonio-religioso/igrejas/249-igreja-misericordia>. 

0
0
0
s2sdefault