EDMUNDO CURVELO

UM GÉNIO PORTUGUÊS

Edmundo de Carvalho Curvelo (Arronches, 18 de outubro de 1913 — Lisboa, 13 de janeiro de 1954) foi um filósofo e lógico português. A sua vida dividiu-se entre Lisboa, onde estudou e trabalhou, e Abrantes, terra adotiva dos pais, onde se deslocava para descansar e visitar a família.

Licenciou-se em Ciências Históricas e Filosóficas e doutorou-se, em 1948, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Dominava o inglês, o francês e o alemão. Foi professor no Colégio Moderno e depois nos liceus Bocage, em Setúbal, Pedro Nunes e Passos Manuel, em Lisboa, e Jaime Moniz, no Funchal, ensinando filosofia e história. Foi também o primeiro professor civil do Colégio Militar, onde organizou e montou um laboratório de psicologia.

Com a entrega da tese de doutoramento, em 1947, tornou-se professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, lecionando História da Filosofia Antiga, Moderna e Contemporânea, Teoria do Conhecimento, Moral, Lógica e Trabalhos de Seminário.

            Depois de feito o Curso de Peritos Orientadores foi, a partir de 1949, professor do Instituto de Orientação Profissional, sendo um dos precursores da introdução dos testes psicotécnicos em Portugal.

Foi membro da Comissão Especial para a Literatura Infantil e Juvenil, presidida por João de Serras e Silva e criada pelo Estado, para fazer propostas de legislação a aplicar a publicações e cinema para menores.

Em quarenta anos de vida e dez de publicações, marcou a história do pensamento português com trabalhos na área da lógica e, em particular, da logificação da psicologia. A sua obra lógica é ainda mais notável por esta não ser, em Portugal, grande objeto de estudo. Manuel Curado afirma, na História do Pensamento Filosófico Português, ser Edmundo Curvelo o melhor lógico nacional do Século XX e que, antes e depois, nada mais importante se encontra na história da lógica do século XX português.

Apesar do pouco tempo como professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, os atuais estudiosos destacam o seu trabalho de investigação e os antigos alunos o notável professor de filosofia que foi. Os seus apontamentos para aulas revelam o cuidado pedagógico em bem introduzir os alunos na arte de pensar, instigando-os à reflexão filosófica e ao pensamento autónomo. Faz pormenorizadas bibliografias para aquisição das bibliotecas, para que os alunos tivessem acesso ao que de mais recente se publicava no mundo.

Admirado por quem com ele conviveu e trabalhou, os seus trabalhos, mesmo inéditos, mereceram o apreço de altos espíritos nacionais e estrangeiros, correspondendo-se com nomes como Willard Van Orman Quine e Alonzo Church. Pela singularidade da sua vida, trabalho e obra merece não ser esquecido e, principalmente, relido com mais frequência.

O seu riquíssimo espólio, com milhares de páginas de inéditos, foi doado à Biblioteca Municipal António Botto pela sua sobrinha Margarida Curvelo e já mereceu o estudo dos professores da Universidade do Minho José António Alves e Manual Curado, tratando-se de um tesouro desta biblioteca.

 

Bibliografia:

CURVELO, Edmundo - Cartas de Edmundo Curvelo a Joaquim de Carvalho (1947-1953) e outros inéditos. Lisboa: Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa, 2005. ISBN 972-99794-0-5

CURVELO, Edmundo - Conhecimento científico. [S.l.]: [s.n.], 1952

CURVELO, Edmundo - Fundamentos lógicos da psicologia. Coimbra: Atlântida, 1945

CURVELO, Edmundo - Introdução à lógica. Lisboa: Cosmos, imp. 1943

CURVELO, Edmundo - Multiplicidades lógicas discretas. Lisboa: Europa-América, 1947

CURVELO, Edmundo - Obras completas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2013. ISBN 978-972-31-1500-0

CURVELO, Edmundo - Opuscula psychologica. [S.l.]: [s.n.], 1951

CURVELO, Edmundo - Principia logicalia I: noções e sistemas da lógica elementar encarados de ponto de vista superior. Lisboa: [s.n.], 1948

CURVELO, Edmundo - Os princípios da logificação da psicologia. Lisboa: Ática, 1947

CURVELO, Edmundo - Problemática filosófica da probabilidade. Lisboa: Associação para o Progresso das Ciências, [1950]

CURVELO, Edmundo - Relações lógicas, psicológicas e sociais da ética. Coimbra: Coimbra Editora, 1946

CURVELO, Edmundo - Teoria dos factores. Lisboa: [s.n.], 1951

 

In  Exposição - 100 anos de autores abrantinos

0
0
0
s2sdefault