A ideia de que o nome “SARDOAL” resulta da abundância de sardões (lagartos) na zona, cimentada com a figuração de um desses répteis no brasão do Concelho, o que já acontecia no selo antigo que tem inscrita a data de 1500, pode resultar de uma confusão com o significado medieval da palavra “Sardão”, que entre outros podia ser o de azinheira ou carrasqueiro, existindo diversas localidades com este nome, cuja etimologia é a de terreno agreste com carrasqueiros ou sardões.

Se nos recordarmos que o povoamento vegetal com pinheiro bravo é recente (não terá ainda cem anos) e que a flora dominante anteriormente era a do sobreiro, em primeiro lugar ou equiparada à da oliveira, seguindo-se o castanheiro e a figueira, o que pode ser confirmado consultando as antigas matrizes prediais rústicas do Concelho e se tivermos em conta a tradição toponímica portuguesa com uma profusão de povoações cujo topónimo resultou da flora dominante, bastando para isso recordar como exemplos: Carvalhal, Carrascal ou Carrascais, Sarzedas, Cercadas, Souto, etc., não será muito difícil de aceitar que o topónimo “SARDOAL” possa resultar da influência na zona do povoamento vegetal e da predominância de espécies como o sobreiro, a azinheira e o carrasqueiro.

Atente-se também e a título de curiosidade no diálogo retratado por Gil Vicente na “Tragicomédia Pastoril da Serra da Estrela”, entre a Serra e Lopo e Jorge, dois foliões do Sardoal:

Serra: Peço-vo-lo que canteis

           À guisa do Sardoal

Lopo: Esse é outro carrascal

           Esperai ora e vereis

 

Serra: Sois vós de Castela, manos

            Ou lá debaixo do extremo?

Jorge: Agora nos faria o Demo

           A nós outros castelhanos!

           Queria antes ser LAGARTO

            Pelos Santos Evangelhos!


Fonte: GONÇALVES, Luís - Das origens do nome "Sardoal". In Sardoal com memória [em linha]. Sardoal. [Consult. 20 Set 2018]. Disponível em WWW:URL:http://www.sardoalmemoria.net/home/patrimonio-cultural/das-origens-do-nome-sardoal

0
0
0
s2sdefault