Nasceu na Concavada, a 2 de setembro de 1907 e faleceu no dia 28 de dezembro de 1996, também na sua terra natal.

Viúva desde muito cedo, após cinco anos de casamento, era no silêncio do serão que cultivava a poesia alimentada, em grande medida, da saudade. Foi colaboradora do jornal Nova Aliança, onde foi apresentada como poetisa popular. As suas quadras são de uma perfeição métrica e dimensão estética inigualáveis.

Bibliografia:

VARANDAS, Joaquina Tavares - Versos feitos ao serão. Abrantes: Câmara Municipal, 1996. ISBN 972-9133-20-4

In  Exposição - 100 anos de autores abrantinos

0
0
0
s2sdefault