Ferreira do Zêzere foi em várias épocas da história um ponto estratégico. Por ser local de passagem das vias romanas, por motivos militares, com a transferência da Ordem dos Templários para Tomar, pela extração de ouro nas ribeiras do Zêzere, pela riqueza florestal autóctone e qualidade dos terrenos agrícolas, por motivos religiosos, pelos inúmeros devotos de Nossa Senhora do Pranto de Dornes e mais recentemente com a construção da Albufeira do Castelo de Bode.
Ferreira está desde sempre ligada ao rio que lhe dá o nome.
Com os poucos meios que dispunham, mestres carpinteiros inventaram um barco adaptado às suas necessidades. Sem pontes, o barco três tábuas era utilizado para a passagem entre margens para transporte de pessoas e animais, utensílios agrícolas, madeira, resina, para apoio à atividade piscatória e para fins de recreio.
A construção deste barco é feita em toda a região em exclusivo por um único artesão de Ferreira do Zêzere, o Sr. José Alberto Ferreira, na localidade de Dornes, Freguesia de Nossa Senhora do Pranto.
 
Entrevista ao artesão José Alberto Ferreira cedida por Região do Zêzere
https://www.youtube.com/watch?v=VXDRmRgmhI0
Fases da construção do barco  -  vídeo cedido por Região do Zêzere
https://www.youtube.com/watch?v=HqD8di0z2a0
 

 

 


 
 


 
Desenho de Alfredo Keil

0
0
0
s2sdefault