Mário Cordeiro
(1950)

 
Portugal – Brasil, Jogo de futebol
Tapeçaria - lã s/ tecido de linho, 2011, 110 x 73 cm

Nasceu na freguesia de Santa Margarida, Constância, em 1950.
Em 1952 veio para Abrantes, onde o pai exerceu durante 50 anos a profissão de encadernador.
Em 1964 ganhou na Escola Secundária um Prémio Literário com um conto – O Contador de Histórias. Foi convidado a escrever para o jornal Correio de Abrantes. Publicou textos no Jornal Escolar O Círculo e nos suplementos do Diário de Lisboa e República, entre 1967 – 1970.

Em 1969 foi premiado num Programa Literário da RTP, com um Conto e Três Poemas Exemplares. Ainda neste ano publicou na Escola um Livro de Poemas – Mãos para Dedos.
Foi convidado para fazer parte das primeiras “Jornadas Culturais de Abrantes” e colaborar na organização do então criado cineclube de Abrantes.
Viajou por vários países da Europa, 1971 – 1976, devido a questões de política estudantil.
Fez exame à Escola N. S. de Belas Artes de Paris e à Universidade de Vincennes. Obteve no ano de 73, uma Bolsa de Estudo da Ent´raide Universitaire. Em agosto de 1975 interrompe os estudos e regressa a Portugal.

Fez a sua primeira exposição na então recém-aberta sede do Partido Socialista abrantino. Vendeu um opúsculo de sua autoria às pessoas em Abrantes, na rua, de título – Escrevam nas Paredes – com o Augusto Mendes e outros jovens.
Várias exposições se seguiram em Abrantes, Sardoal, Santarém e Lisboa. 
Em 1982 ganhou um Prémio de Poesia e Desenho nas Comemorações do Aniversário da Maternidade Alfredo da Costa. Foi incluído na Antologia de Poesia dos anos 70-71 publicada no Porto. Em 1984 publicou um livro de Poesia A Nau Eléctrica.
Em 1985, um desenho seu ilustrou o apelo – Um Postal para Luanda – do Diário de Lisboa, para a colaboração dos leitores com a causa dos escritores Angolanos.
Em 2002 o Município de Abrantes organiza uma exposição retrospetiva da sua obra e edita o catálogo “C´est triste la vie de l`artiste”.
O seu nome figura nos roteiros de Arte publicados pela Secretaria de Estado da Cultura.

In catálogo da Exposição - 100 ANOS DE ARTES PLÁSTICAS EM ABRANTES, 10 SETEMBRO A 21 OUTUBRO 2016, Município de Abrantes.

0
0
0
s2sdefault