Sardoal

Árvores Emblemáticas

O Sardoal possui diversas árvores emblemáticas, sendo que algumas são classificadas de interesse público em virtude do seu porte, desenho, idade e raridade (...)

Biblioteca Municipal de Sardoal

Inaugurada a 6 de dezembro de 1997, como Biblioteca Fixa n.º 176 da Fundação Calouste Gulbenkian, na presença dos Doutores Vasco Graça Moura, Armando Fernandes e Ana Gaiaz quadros superiores daquela fundação, funcionou nas instalações do antigo Externato Rainha Santa Isabel até março de 2007 (...)

Capela dos Barbilongos

Capela dos Barbilongos No século XVI era designada, pelos monges de barbas longas que ali viviam, por Nossa Senhora dos Barbilongos Localização: Andreus (...)

Cozinha fervida

A Cozinha Fervida tem origem nos antigos hábitos alimentares das camadas mais desfavorecidas do povo rural, sendo um aproveitamento de sobras de outras refeições (...)

Desportos de Natureza

O prazer do contacto com a natureza através dos Desportos da Natureza tem crescido no nosso país Percursos: Na rota do javali PR1 SRD ABT - http://w ww.cm-sardoal.pt/images/CMS/Descobrir/De sportos_Natureza/Rota_Javali/desdobr%C3% A1velPR1_2015_novo.pdf (...)

Festa do Espírito Santo ou do Bodo

Festa do Espírito Santo ou do Bodo O Pentecostes (Festa do Espírito Santo) é celebrado 50 dias depois da Páscoa e, conforme comprovam vários registos, o Sardoal já a realizava antes de 1470 (...)

Filarmónicas de Sardoal

A 3 de Agosto de 1862 foi fundada a coletividade “Sociedade Filarmónica Sardoalense” e em Novembro de 1901 a “Sociedade Fraternidade Sardoalense” (...)

O Sardoal: Boletim de Informação e Cultura da Câmara Municipal de Sardoal

O boletim O SARDOAL é editado desde 1999 e a sua designação foi escolhida de forma a espelhar o caracter amplo da mesma Entre 1982 e 1998 existirem alguns números de duas publicações que poderão ser vistas como os antecessores de O SARDOAL, tratava-se de o Boletim Municipal (1982-1994) e da Folha Informativa (1994-1997). (...)

Oratório de Arte Namban

Em 1670, D O Oratório de Nossa Senhora da Esperança, com Nossa Senhora e o menino ao colo, de madeira lacada de negro (uruxi), com decoração a ouro, parta e o colorido (maqui-e) (...)

Padre António de Carvalho de Parada

Padre António de Carvalho de Parada Filho de António Carvalho e de Margarida Parada, nasceu no Sardoal em 1595 Possuía lugares honoríficos e benefícios rendosos, como por exemplo: Protonotário Eclesiástico, Arcipreste da Catedral de Lisboa, Visitador, algumas vezes, da Diocese de Lisboa (...)

Sardoal: origens do nome

A ideia de que o nome “SARDOAL” resulta da abundância de sardões (lagartos) na zona, cimentada com a figuração de um desses répteis no brasão do Concelho, o que já acontecia no selo antigo que tem inscrita a data de 1500, pode resultar de uma confusão com o significado medieval da palavra “Sardão”, que entre outros podia ser o de azinheira ou carrasqueiro, existindo diversas localidades com este nome, cuja etimologia é a de terreno agreste com carrasqueiros ou sardões. (...)

Semana Santa e Páscoa no Concelho de Sardoal

As Solenidades da Semana Santa e Páscoa no Concelho de Sardoal assumem-se como património intrínseco da personalidade concelhia, representando um elo inabalável da ligação entre gerações do Passado, do Presente e do Futuro (...)

Tábuas do Mestre do Sardoal

Tábuas do Mestre do Sardoal Vicente Gil e Manuel Vicente deixaram no Sardoal uma das mais importantes heranças culturais e artísticas do concelho: as Tábuas do Mestre do Sardoal. (...)

Tigeladas de Sardoal

Tigeladas Segundo Luís Gonçalves, as "TIGELADAS" são um dos doces mais típicos desta região, de que muitas terras se arrogam de terem sido elas as criadoras deste doce delicioso (...)