Gustavo de Bívar Pinto Lopes nasceu em Torres Novas no dia 8 de abril de 1864. Os seus estudos secundários foram feitos em Santarém, Coimbra e Lisboa e, mais tarde, frequentou o Instituto Geral de Agricultura, fazendo as cadeiras de topografia e zootecnia. Trabalhou na Câmara Municipal de Torres Novas, enquanto amanuense, escrevente de tabelião da comarca e, em 1886, foi nomeado escrivão e tabelião da comarca de Moçambique. Em África, foram vários os cargos que desempenhou, regressando a Portugal em 1926, ano em que foi presidente da comissão administrativa da Câmara Municipal de Torres Novas. Em 1933, criou a Biblioteca e Museu Municipais, de que foi o primeiro conservador.
Deixou escrito: Elementos para um Vocabulário do Dialecto falado em Quelimane (Ichuábo), 1889; Respostas ao Questionário Etnográfico – Parte referente ao Território da Companhia de Moçambique, 1928; Carlos Reis, 1942, em parceria com Artur Gonçalves. A revista O Mundo Português publicou várias das suas crónicas sobre África sob o título «Memórias de um sertanejo».
Faleceu em Torres Novas, em 23 de abril de 1944. Após a sua morte, foram várias as homenagens que lhe foram prestadas. À biblioteca municipal foi atribuído o seu nome assim como a uma rua da cidade (do largo Dr. Pedro Maria da Cunha Serra à rua da Capela de Santo António).


 BICHO, Joaquim Rodrigues, Toponímia da Cidade de Torres Novas, Torres Novas: Edição Câmara Municipal de Torres Novas, 2000.
 BICHO, Joaquim Rodrigues, Torrejanos de Vulto, Torres Novas: Serviços Culturais da Câmara Municipal de Torres Novas, 1993.
 Câmara Municipal de Torres Novas - www.cm-torresnovas.pt
 Museu Municipal Carlos Reis - http://museu.cm-torresnovas.pt

0
0
0
s2sdefault