Diogo Fernandes de Almeida nasceu em Torres Novas em data que se desconhece. Era filho do anterior alcaide-mor, D. Lopo de Almeida, 1.º conde de Abrantes e de D. Brites da Silva, dama da rainha D. Leonor.
Foi monteiro-mor do rei D. João II, general dos mares da África e alcaide-mor de Torres Novas, cavaleiro da Ordem de Malta, Prior do Crato.
Em 1480, sabendo que a ilha de Rodes estava cercada, armou à sua custa um navio e 120 homens, partiu em seu socorro e libertou-a do cerco dos turcos. Era uma pessoa bastante conceituada, de grandes qualidades e merecimentos, e por isso o Rei D. João II confiou-lhe a educação de seu filho bastardo, D. Jorge de Lencastre, apresentado depois ao sucessor da coroa, D. Manuel I, o que lhe valeu a doação da vila de Torres Novas.
Faleceu em Almeirim, em 13 de maio de 1508, e foi sepultado na igreja de Nossa Senhora da Flor da Rosa, perto do Crato. Em Torres Novas, existe um largo que homenageia este torrejano (limitado pela rua Miguel Bombarda e nele confluem a rua Pe. Júlio Duque e a travessa do Lamego).

 BICHO, Joaquim Rodrigues, Toponímia da Cidade de Torres Novas, Torres Novas: Edição Câmara Municipal de Torres Novas, 2000.
 GONÇALVES, Artur, Torrejanos Ilustres, Torres Novas: Câmara Municipal de Torres Novas, 1933.
 Câmara Municipal de Torres Novas - www.cm-torresnovas.pt

 

0
0
0
s2sdefault